Tomate caro é prevenção contra o câncer!

tomate1

Nunca se falou tanto do tomate como nos últimos dias. A inflação fez o preço da tão apreciada fruta, presente na básica saladinha de alface de quase todo o dia, ir lá em cima. Eu gostaria que o tomate já tivesse toda essa atenção há tempos, por causa de um dado muito pior: a quantidade de agrotóxico envolvida na sua produção. E digo mais, me alegra ver que, embora não pelo conhecimento do veneno que se ingere comendo tomate, as pessoas estejam diminuindo seu consumo.

Existem algumas frutas, verduras e legumes que não deveriam ser consumidas sem ser orgânicas de maneira alguma, pois leva muito defensivo na sua produção, o que envenena o alimento. Ao comer esse alimento, nos envenenamos também. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, os alimentos mais perigosos devido à contaminação com uso de agrotóxicos são: pimentão (80,0%), uva (56,40%), pepino (54,80%), morango (50,80%), couve (44,20%), abacaxi (44,10%), mamão (38,80%), alface (38,40%), tomate (32,60%) e beterraba (32,00%).

O estudo que elencou esses alimentos ressaltou que é alarmante a grande quantidade de amostras de pepino e pimentão contaminadas com endossulfan, de cebola e cenoura contaminados com acefato e pimentão, tomate, alface e cebola contaminados com metamidofós. Essas substancias ainda utilizadas na produção agrícola brasileira já são proibidas em vários países, e de acordo com Dirceu Barbano, diretor da Anvisa, “são ingredientes ativos com elevado grau de toxicidade aguda comprovada e que causam problemas neurológicos, reprodutivos, de desregulação hormonal e até câncer”.

Muitas vezes me vejo assustada com a quantidade de pessoas próximas com câncer. Minha mãe não teve contato em sua juventude com um terço da quantidade de pessoas que eu conheço com câncer atualmente. Eu tenho 26 anos. Isso mostra que a doença vem crescendo em dados estatísticos.  Não posso confirmar cientificamente que esse dado pessoal tem relação direta com a crescente prática do uso de defensivos nas plantações, especialmente no Brasil. Mas diante de tudo que já li e vi sobre o assunto, algo me diz que evitar o tomate cultivado com defensivos pode evitar também o surgimento de um câncer.

Saúde!

Daniele Barbosa – editora do Portal Estar Bem
daniele.barbosa@gmail.com

 

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>