Medicina holística: a doença fora de foco

M3361S-3034

O termo medicina holística, embora muito usado hoje em dia, ainda traz uma ideia de tratamento alternativo. O que seria então um tratamento holístico? Para Bruno Gonçalves, naturopata português que vive há quase um ano no Brasil, a medicina é uma só, e falar em “medicina alternativa” não é adequado. Em sua opinião, o que existe é uma variedade na forma de abordar a saúde. O tratamento holístico, segundo ele, é uma vertente da medicina que olha para o indivíduo como um todo, considerando o corpo, a mente e a espiritualidade.

“Procuro observar e tratar o desequilíbrio da pessoa, não com ênfase na doença, mas na pessoa como um todo, equilibrando o seu físico, o psíquico e o emocional, com o que é mais orgânico e sem uso de medicamentos sintéticos”, explica. “Cada caso é único, e um dos objetivos é desvendar o potencial inato de cada indivíduo, mostrar-lhe a importância da prevenção, de um sono repousante, de uma nutrição adaptada, proporcionar-lhe formas práticas de autoajuda, meditação e autoconhecimento, incrementando a sua capacidade de saber lidar com as circunstâncias adversas”, afirma Gonçalves.

Para o terapeuta, é importante também encarar a doença como uma “benção”, pois pode levar o doente a lugares que ele não imaginava dentro de si. Segundo Bruno, a ignorância seria a fonte de todas as doenças existentes que, por sua vez, é sempre resultado de uma crise. Se soubermos transcender essa crise, podemos alcançar um outro nível de consciência sobre a nossa própria realidade, explica o terapeuta.

Isis e Bruno Gonçalves em workshops

Isis e Bruno Gonçalves em workshops

“Trabalho em conjunto com a minha mulher, Isis Gonçalves, que também é naturopata, e a nossa função não é curar ninguém, simplesmente informar e dar os meios para a pessoa o fazer por si só”, explica. “Aprendi queem certos casosa doença pode ser uma benção exatamente porque revela a espiritualidade na pessoa e um crer em algo superior. Muitas pessoas só despertam para a vida espiritual quando são molestados com algum tipo de doença grave. A cura é um caminho até ao equilíbrio e a um grau mais alto de evolução. Quando chegarmos à cura, entendemos que a doença foi, na verdade, uma escola, um verdadeiro aliado”, conclui.

Para Bruno e Isisa pessoa que deseja a cura ou prevenir a doença deve adotar um estilo de vida que englobe equilíbrio entre atividade e repouso, cuidado diário com a nutrição, exercício físico e mental equilibrados e prática meditativa. Quando em desequilíbrio, os naturopatas indicam o uso de fitoterapia, florais, suplementação – caso necessário  e terapias corporais, como massoterapia, osteopatia, acupuntura, fasciaterapia.

Os terapeutas trabalham com o que chamam de “Arte Terapia”. Eles promovem uma espécie de workshop do qual são os facilitadores. O objetivo é proporcionar aos participantes o contato com técnicas e exercícios de consciência corporal, respiração, desinibição e colocação de voz para proporcionar desenvolvimento intelectual, raciocínio lógico, concentração e absorção de informação. O próximo curso acontece em Maricá, na Reião Metropolitana do Rio de Janeiro, no dia 26 de outubro.

Informações sobre o curso pelo email elisfsoa25@uol.com.br

2 Comments

  1. Amiga Daniele, parabéns pela proposta e conteúdo! O mundo precisa de Saúde e tudo que puder auxiliar a promover mais saúde é e será sempre Bem-Vindo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>