Os perigos da gordura trans

oleos

O uso de gordura trans (gordura vegetal hidrogenada) foi proibido em Nova York. Os restaurantes e empresas terão três anos para retirar o ingrediente da composição de seus produtos. Um avanço e tanto, se comparado com a gente, no Brasil. Por aqui, a gordura vegetal hidrogenada é largamente utilizada: desde biscoitos recheados, a chips e batatas. Alguns chocolates industrializados, até de marcas famosas, também fazem uso desse tipo de óleo.

O uso da gordura vegetal na produção de alimentos – mesmo sem ser hidrogenada – começou a ser mais comum com a “Dieta Prudent”, um modelo de alimentação da American Heart Association (AHA) divulgado com uma tese que visava prevenir as doenças cardiovasculares e o aumento do colesterol. Isso foi na década de 50. Antes disso, a gordura saturada, a animal, era a mais utilizada. Hoje, a classe médica já encontra fortes defensores de que os óleos vegetais, em comparação com a gordura animal, não garantem a saúde e integridade das artérias e do coração, como garantiam, antigamente, os americanos.

De fato, há uma diferença entre a gordura vegetal hidrogenada e a gordura vegetal. Para ficar sólido, o óleo vegetal passa por um processo químico de adição de hidrogênio. Isso aumenta a validade dos produtos, melhora a aparência, batraeia a produção, mas adere às artérias, formando placas de gorduras e podendo causar infartos.

Porém, há que se tomar cuidado, mesmo quando o óleo não é hidrogenado. O óleo vegetal é excelente complemento alimentar. Possui ômega 3, ácidos graxos, óleos essenciais, ou seja, é benéfico para o consumo humano, mas APENAS QUANDO É PRENSADO A FRIO! A maioria dos óleos vegetais vendidos nos mercados – soja, canola, milho, girassol – são extraídos pelo processo de refino. Nessa forma de extração, são usados solventes químicos e altas temperaturas, o que pode, ocasionalmente, hidrogenar e oxidar os ácidos graxos. Quando a extração é feita a frio – pela prensa, sem calor e sem solvente – todos os nutrientes do óleo são conservados e, consequentemente, não correm o risco de hidrogenar ou de serem contaminados com aditivos químicos.

pao_formaDessa forma, fica realmente difícil consumir produtos industrializados. Quase todos contém gordura vegetal ou gordura vegetal hidrogenada. Enquanto medidas como a de NY não chegam por aqui, o melhor é se alimentar daquilo que você mesmo prepara, e sempre ler os ingredientes dos produtos industrializados (lembrando que “ingredientes” é diferente de “tabela nutricional”).

Por último, um alerta: muitos – muitos mesmo – produtos alimentícios para crianças contém óleos vegetais hidrogenados: a maioria dos biscoitos recheados, chocolates, amanteigados, achocolatados, pães e das bebidas lácteas, com raras exceções. A lista é enorme.

E o que usar para preparar refogados, massas e pães caseiros, bolos, entre outras receitas? Eu recomendo o ghee (manteiga clarificada), a própria manteiga e azeite ou óleos prensados a frio. No caso dos óleos extraídos a frio, são um pouco mais caros e mais fáceis de encontrar em lojas de produtos naturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>