Por que não dei remédio contra cólica para minha filha

Sarah+H+touch

 

Sou mãe de uma neném de três meses. Há algumas semanas ela vem sofrendo com gases. Homeopatia, banho de ofurô, massagem, colo, sling, música. Tenho feito tudo isso, o que verdadeiramente ameniza o sofrimento dela, mas não o elimina por completo.  Pois bem, num dia resolvi que iria dar o remédio. Fui até à farmácia e pedi o Luftal Gotas. Quando abri a bula, desisti. Não pela famigerada parte das reações adversas de qualquer bula de medicamentos, mas pelos componentes conhecidos como excipientes.

O Luftal gotas, indicado para bebês, além da substancia que atua contra os desconfortos abdominais – a simeticona – contém propilenoglicol, óleo de rícinio polioxietilado, goma xantana, celulose microcristalina, metilparabeno, propilparabeno, ciclamato de sódio, sacarina sódica, aroma, essência de cereja e corante FDC vermelho nº40. Esses ingredientes são chamados de excipientes ou ingredientes inativos.

Massagem na barriguinha, com óleo de coco é uma forma de auxiliar na eliminação dos gases

Massagem na barriguinha com óleo de coco auxilia na eliminação dos gases

Desisti de dar esse medicamento para minha filha, porque há componentes altamente questionáveis e polêmicos, ainda mais numa fórmula permitida para crianças, como o  ciclamato de sódio, um adoçante extremamente duvidoso, visto que já foi proibido em diversos países, como EUA e Inglaterra porque estaria relacionado ao desenvolvimento de câncer.

Falando em câncer, os parabenos presentes no remédio também são alvo de polêmica. Muito comum nos produtos de higiene, o parabeno também estaria associado ao desenvolvimento da doença. Haja homeopatia, colo, banho quentinho, massagem com óleo de coco, sling, música. Vale tudo, menos dar um medicamento com tantos ingredientes potencialmente tóxicos para um organismo ainda tão inofensivo.

Dois estudos mostram bem os riscos dos excipientes nas fórmulas dos remédios, um da Universidade Federal do Ceará (UFC) e outro da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP). Em 2008, pesquisadores da UFC chegaram à conclusão de que era necessária maior atenção, por parte dos profissionais de saúde, com a presença de excipientes como possíveis indutores de reações adversas aos medicamentos.

Já o estudo da UNESP afirma que os parabenos podem desencadear urticária e angioedema em indivíduos com intolerância a salicilatos. Segundo os pesquisadores o aspartame, o ciclamato de sódio e a sacarina sódica podem induzir reações de hipersensibilidade, manifestadas por urticária, prurido e angiodema. A pesquisa afirma ainda que os ciclamatos não são mais utilizados como edulcorantes nos EUA desde a década de 1970, por determinação da Food and Drug Administration (FDA), devido ao potencial carcinogênico em animais de laboratório.

Quero deixar claro que não julgo quem dá o remédio. Na verdade entendo perfeitamente quem opta por dar o medicamento. É quase enlouquecedor ter um neném chorando por conta de gases em casa. É preciso muita paciência, além da certeza de que essa é apenas mais uma fase, entre tantas outras, do bebê e que vai passar. Poder contar com outras formas para acalmar o neném também é tranquilizador. No meu caso, uma fórmula homeopática, além de massagem na barriga com óleo de coco e banho morno de baldinho (ofurô para neném) ajudam bastante. Ah, e muito colo, amamentação em livre demanda e, no caso da minha neném, música são outras formas de acalmá-la durante as crises.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>